🐧 Valve reafirma seu compromisso com o Linux

Após todo o drama causado pelo plano da Canonical de abandonar o suporte para 32 bits em futuras versões do Ubuntu, o que levou o desenvolvedor Pierre-Loup Griffais, da Valve, a afirmar que o Steam não seria mais suportado em futuras versões do sistema operacional, a empresa de Gabe Newell resolveu publicar uma declaração “oficial” sobre o assunto.

Em seu novo comunicado também escrito por Pierre-Loup Griffais a Valve reafirma seu compromisso com a plataforma Linux, elogia a maior opção disponível de distribuições Linux focadas em usuários iniciantes do que quando o Steam foi lançado no Linux e anuncia que suportará as futuras versões do Ubuntu, já que a Canonical decidiu continuar com o seu suporte para bibliotecas e dependências de 32 bits.

Além disso, o desenvolvedor também aproveitou a ocasião para explicar o por que o suporte para 32 bits é tão importante para o Steam. Diferente do que você possa imaginar, isso não está diretamente ligado ao hardware, onde raramente se encontra PCs com processador de 32 bits inclusive para a jogatina , mas no lado do software, o que inclui os jogos.

“Para fornecer algumas informações básicas, o suporte para bibliotecas de 32 bits é necessário para executar não apenas o cliente Steam, mas também os milhares de jogos disponíveis no Steam que suportam apenas ambientes de 32 bits. Permitir que o cliente Steam seja executado em ambientes puros de 64 bits, embora viável, deixaria a grande maioria da biblioteca Steam atual inacessível a esses usuários sem uma camada de compatibilidade adicional. Garantir que todos os jogos que um usuário possui permaneça totalmente jogável, sempre que possível, é um princípio fundamental do Steam, e não acreditamos que qualquer solução que divida arbitrariamente a biblioteca de um usuário seja aceitável”, explicou Pierre-Loup Griffais.

O desenvolvedor continua explicando que, embora o cliente Steam já conte com algumas das dependências de 32 bits necessárias para executar os jogos, são necessários alguns “componentes-chave disponíveis no sistema host: um glibc de 32 bits, carregador ELF, bibliotecas de drivers gráficos Mesa e NVIDIA”, entre outros componentes importantes.

“Há muito mais nas razões técnicas e não-técnicas por trás de nossas preocupações, mas o resultado final é que teríamos que abandonar o que estamos fazendo e nos esforçar para apoiar o novo esquema a tempo para [o Ubuntu] 19.10. Não estávamos confiantes de que poderíamos fazer isso sem transmitir parte do burburinho aos nossos usuários e isso não resolveria os problemas de softwares de terceiros fora do Steam, dos quais muitos dos nossos usuários confiam”, prosseguiu.

“Existem várias distribuições no mercado hoje que oferecem uma ótima experiência em jogos de desktop, como Arch Linux, Manjaro, Pop!_OS, Fedora e muitos outros. Trabalharemos mais de perto com muitos outros mantenedores de distribuição Linux no futuro.”

O desenvolvedor conclui afirmando que ainda não tem planos concretos para anunciar algo a respeito sobre quais distribuições Linux serão suportadas no futuro, porém, novidades sobre o assunto podem sair nos próximos meses.

“Continuamos comprometidos em apoiar o Linux como uma plataforma de jogos, e continuamos a impulsionar numerosos esforços de desenvolvimento de recursos e drivers que esperamos que ajudem a melhorar a experiência de jogo e desktop em todas as distribuições Linux; falaremos mais sobre alguns exemplos disso em breve.”

Fonte: LinuxBuzz


Serviços
Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM


Serviços

Atendimento OnLine
Enviar...