Não é só o YouTube: milhares de apps infantis do Android coletam dados sem permissão

O YouTube não será o único a se estrepar nos Estados Unidos ao coletar dados de crianças ilegalmente: um estudo recente descobriu que mais de três mil apps especificamente voltados para os pequenos fazem uso de tal estratégia, que é ilegal na terra do Tio Sam e pode se converter em processos milionários contra os desenvolvedores.

O estudo foi publicado na última semana por pesquisadores ligados ao Instituto Internacional de Ciência da Computação; ele analisou 5.855 apps distribuídos na Google Play Store e que são direcionados a crianças com idade abaixo de 13 anos, estes protegidos pela COPPA (Child Online Privacy Protection Act); que proíbe sites e empresas online de coletar dados. O YouTube se enrolou com esta lei porque o app principal, e não o YouTube Kids não só continua coletando informações sensíveis desse perfil de usuários como sabia quem estava do outro lado, retornando anúncios de acordo com a faixa etária; sob o entendimento da lei, a plataforma deveria identificar o perfil de usuário e não só evitar de coletar dados como não retornar nada, e por causa disso o YouTube pode morrer em alguns bilhões de dólares de multa nos EUA.

Neste estudo, dos apps estudados 3.337 apresentaram problemas dos mais diversos: 281 coletavam informações como a lista de contatos e localização sem pedir autorização aos pais; 1.100 compartilhavam os dados coletados com outras companhias; 2.281 violavam os Termos de Serviço do Android sobre compartilhamento de dados persistentes para identificação em múltiplos apps, plataformas e dispositivos; 40% dos apps transmitiam os dados sem qualquer camada de segurança e 92% dos 1.280 apps que oferecem login pela conta do Facebook não usavam as ferramentas da rede social que impedem seu uso por menores de 13 anos. Em suma, um festival de infrações.

Os pesquisadores informam que embora tais práticas configurem uma infração nos EUA, cabe à FTC tomar as providências legais; independente disso é preocupante saber que apps supostamente seguros coletam dados de crianças quando não deveriam de forma alguma fazê-lo. Recentemente, além do YouTube a Disney também foi pega com seus apps coletando dados indevidamente, o que dá uma ideia da dimensão do problema.

O Google não se manifestou a respeito e o estudo não cobriu o iOS, portanto não é possível medir a real extensão do problema.

Fonte: Meio Bit

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM

Atendimento OnLine
Enviar...