Malware explora usuários do Facebook Messenger para minerar criptomoedas

Atenção para uma nova ameaça que vem mirando os usuários do Facebook Messenger. Um malware chamado Digmine tem aparecido como conteúdo audiovisual e se instala na máquina com o objetivo de se multiplicar e minerar criptomoedas. De acordo com a Trend Micro, a praga se apresenta no comunicador como um arquivo de vídeo, normalmente chamado de “video_xxxx.zip”, e ataca somente na versão desktop do Chrome.

Ao abri-lo, os curiosos disseminam o bichinho pelo seu perfil, contato e mensagens privadas — usados para ele se reproduzir por aí. Além disso, instala vários componentes, incluindo uma picareta digital que usa seu computador para garimpar Monero.

O Facebook já avisou a Trend Micro que removeu todos os links relacionados ao Digmine de sua rede social, contudo, o Bleeding Computer já adiantou que os hackers são capazes de alterar os endereços para continuar agindo na plataforma, incluindo mais códigos e funcionalidades que permitem sequestrar ou manipular a conta. A companhia também disse que possui sistemas automáticos de monitoramento para evitar problemas com redirecionamentos e se ofereceu a encaminhar serviços de antivírus de parceiros confiáveis.

Até agora, o Digmine já foi flagrado na Coreia do Sul, Vietnã, Azerbaijão, Ucrânia, Filipinas, Tailândia e Venezuela. Mas pode ser que já tenha se propagado por muito mais lugares, portanto, cuidado ao receber documentos duvidosos no mensageiro, mesmo se eles vierem de pessoas conhecidas.

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM

Atendimento OnLine
Enviar...