Google vence Oracle no direito de uso do Java, Vitória para o Android
Há um bom tempo que Google e Oracle vêm se enfrentando nos tribunais pelo direito de uso do Java no Android. Oracle vinha buscando compensações judiciais por parte da Google pelo uso das suas APIs. Era exigida uma indenização de US$ 9,3 bilhões (R$ 33,31 bilhões em uma conversão direta), valor referente à violação de copyright de 37 APIs utilizadas no Android. E finalmente, nesta quinta-feira (26), um júri americano decidiu a favor da Google, alegando que o uso das APIs da Oracle no Android não fere os direitos de uso do código.

Google já vinha tomando providências para evitar a Oracle com o Android N, que trocará o Java pelo OpenJDK. Enquanto a versão final do Android N não é lançada, Google ainda precisa resolver judicialmente o direito de uso do Java. Google alegava que usa as 37 APIs contestadas pela Oracle de “forma justa”, alterando-as de uma forma que não podem ser consideradas cópias. E, mesmo se fosse o caso, o Java é gratuito para uso em última instância, ainda que o seu uso por empresas entre em uma zona de disputa. É claro que a Oracle não concordava, já que é de seu interesse receber compensações completamente fora da realidade pelo uso da tecnologia, que originalmente pertencia à Sun Microsystems, que foi adquirida por ela.
 
O julgamento foi acompanhado de perto por desenvolvedores de software, que temiam uma vitória para a Oracle que poderia estimular mais processos de direitos autorais de software. No entanto, os investidores viram pouco risco para a Google. As ações da Oracle e da Alphabet, da qual Google faz parte, não apresentaram grandes variações após o veredito. Essa disputa vinha rendendo desde 2014, mas finalmente parece ter chegado ao fim.
 
Sob a lei de direitos autorais dos EUA, “uso justo” permite o uso limitado de materiais sem adquirir permissão do detentor dos direitos para fins de pesquisa. O novo julgamento, que durou cerca de duas semanas, contou com o testemunho de executivos de alto perfil, incluindo o presidente executivo da Alphabet, Eric Schmidt, presidente-executivo, Larry Page, e a co-CEO da Oracle, Safra Catz.
 
Claro que essa vitória não muda o fato de que Google continuará investindo no OpenJDK para o Android, que trará mais benefícios além de evitar futuros processos da Oracle. Entre as novidades podemos esperar por aplicações mais rápidas e responsivas, que rodam sempre estáveis, sem atrasos na exibição. Isso permitiria vermos jogos e outros app rodando a 120 quadros por segundo na tela do smartphone, enquanto o padrão atual é 60 Hz – claro, para isso seria necessário ter smartphones com tela com taxa de atualização de 120 Hz, algo que ainda não vemos no mercado.

Fonte: Tudocelular 


Serviços
Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM


Serviços

Atendimento OnLine
Enviar...