Estes são os aplicativos que você precisa desativar do seu Android agora

Todos nós sabemos que um sistema não é nada sem uma boa gama de aplicativos. Sim, no mercado temos SO consolidados e aqueles que ainda não decolaram. Entretanto, alguns fabricantes erram a mão na hora de selecionar os apps que virão pré-instalados em seus dispositivos. Nossos leitores já nos disseram quais são os aplicativos que merecem um chega pra lá. Conheça-os a seguir.

1. BR Apps
Em pleno ano de 2016 é inviável que novos smartphones sejam lançados com esse app instalado de fábrica. A Lei do Bem impôs que o BR Apps fosse embarcado em smartphones fabricados nacionalmente, e que eram comercializados por até R$ 1.500, visto que esses eram agraciados por algumas isenções fiscais. Bem, o incentivo acabou e, por mais que exista aplicativos interessantes dentro da BR Apps, a loja “incentivadora” perdeu seu sentido.
 
Claro, não que você não deva prestigiar o trabalho de nossos desenvolvedores brasileiros – a loja BR Apps continha apenas aplicativos desenvolvidos localmente – mas, o acervo disponível na loja em questão pode ser encontrado na Play Store facilmente. A BR Apps é irremovível, restando ao usuário apenas a opção de desativá-la do sistema.
 
2. Aplicativos de operadoras
Existem alguns tipos de aplicativos de operadoras. O mais comuns são aqueles que acompanham o aparelho de fábrica. Em sua maioria, essas opções oferecem assinaturas de serviços, mensagens promocionais e algumas ferramentas para suporte do chip SIM.
 
Outro aplicativo comum das operadoras é o chamado “Serviços do SIM”, que é instalado automaticamente quando o usuário insere seu chip-SIM no telefone pela primeira vez.
 
Por lei, todas as operadoras precisam oferecer ferramentas online ou via canal de atendimento para que seus clientes possam acompanhar o consumo de seus serviços, monitorar seus gastos e também desativar planos e promoções. Porém, não me recordo de nenhum aplicativo de operadora que ofereça essas possibilidades e, além disso, muitos usuários sequer abrem esses apps. Chega pra lá, operadoras!
 
3. Demos de jogos 
Quem nunca comprou um celular e ficou super feliz quando viu que o jogo The Sims ou o do Homem-Aranha veio pré-instalado no aparelho. Logo, pensamos: nossa, um jogo pago que veio de presente para mim! Mas, basta selecionar o game em questão para ter acesso a surpresa que o fabricante do seu dispositivo preparou para você. 
 
Acordos comerciais são comuns entre fabricante e empresas de softwares e desenvolvedores, mas, alguns aplicativos extrapolam o nível do bom senso. Quem aí gosta de acessar a gaveta de apps do celular todos os dias e ficar olhando para um aplicativo com demos e materiais promocionais de jogos? – os famosos launchers demos de jogos.
 
Sony, LG e Samsung são especialistas nessa empreitada, promovendo jogos da EA, Gameloft, e por ai vai. Neste ponto, caímos na mesma questão da BR Apps, que é: por que eu preciso de um aplicativo instalado no meu celular que promove coisas que eu mesmo posso encontrar na Play Store?
 
4. ChatOn
Pior do que ter um aplicativo pré-instalado e irremovível, é precisar conviver com um serviço que foi descontinuado pelo próprio fabricante todo o santo dia. Espera aí: se ele foi descontinuado por ser impopular, por que eu preciso tê-lo no meu smartphone? Pois bem, o caso do ChatOn é um dos mais chatos – rimou! -, visto que a presença do app varia de acordo com o modelo do aparelho.
 
Quem compra modelos da linha Galaxy mais antigos – 2015 para trás – tem a grande chance de ser agraciado com o ChatOn, enquanto modelos mais recentes já não contam tal aplicativo instalado. Além disso, algumas atualizações do sistema não removem o serviço de vez, visto que muitos usuários foram migrados para o Lollipop ou Marshmallow e tiveram que permanecer com o ChatOn instalado. Menos, Samsung, bem menos!
 
5. Play Banca
Serviços do Google não ficam para trás. O Play Banca é uma seção da Play Store que comercializa revistas e livros digitais. Entretanto, poucos usuários brasileiros estão familiarizados com a banca do Big G. Claro, da mesma forma que muitos reclamam do Facebook dividir funções da rede social em apps, acredito que a Play Banca deveria se limitar a ficar dentro da loja principal.
 
Além disso, enquanto em muitos aparelhos ela vem como padrão, em outros, a Play Banca é opcional. Muitos usuários baixaram a Banca na Play Store em algum momento e, do nada, o app passou a ser irremovível. Pode parecer que não, mas em um celular com 8GB de armazenamento, por exemplo, a Play Banca só serve para ocupar espaço.
 
Como dar um chega pra lá nesses apps?
Todos esses aplicativos são irremovíveis em sua maioria. No entanto, algumas medidas podem ser tomadas para poupar os precisos megabytes do armazenamento do seu smartphone. Lá nas “Configurações do Sistema”, selecione o menu “Aplicativos” e encontre na lista de apps instalados algum desses que mencionamos acima.
 
Notem que mesmo com a impossibilidade de remoção, ainda sim é possível desativá-lo e marcar a opção “Não permitir notificações”, que tornará futuras atualizações do app na Play Store impossível. Antes disso, lembre-se de limpar os dados e o cache do app, para que o mesmo não deixe rastro no seu sistema. 

Fonte: AndroidPIT 


Serviços
Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM


Serviços

Atendimento OnLine
Enviar...