10 respostas sobre HDMI

Tudo o que você precisa saber sobre essa tecnologia para aplicar na sua residência. O grande diferencial da interface HDMI em relação às demais está em permitir o tráfego de sinais de vídeo e áudio em um único cabo, sempre em formato 100% digital, o que evita a degradação e perda de qualidade final, característica das sucessivas conversões digitais/analógicas. A tecnologia, no entanto, têm diversas especificações nem sempre compreendidas por todos. Por isso, juntamos as principais dúvidas e damos as respostas.

1) Quais as vantagens do HDMI 1.4?
O HDMI Group, entidade que licencia fabricantes e orienta as normas dessa conexão, resolveu criar o padrão 1.4 com o objetivo de ampliar a capacidade de tráfego de dados nos cabos e conectores. É possível conduzir sinais de vídeo Full HD em 3D e tecnologias capazes de elevar as nuances de cores para até 48 bits ou bilhões de tons (Deep Color, x.v.Color e xvYCC). 
A interface 1.4 traz consigo opção de conectores micro, inclusive para sistemas de A/V automotivo, e a possibilidade dos fabricantes incluírem na interface HDMI um canal de retorno de áudio chamado ARC (Audio Return Channel-enabled) e de dados em rede – Ethernet. No caso do ARC, o cabo digital óptico ou coaxial normalmente utilizado para conectar o TV (com sintonizador digital) a um receiver ou HTB pode ser substituído pelo mesmo cabo HDMI responsável pelo sinal de vídeo. 
Ainda não muito comum em conectores HDMI, o canal ethernet pode ser útil para ligar players, media centers e TVs com funcionalidades de internet e de compartilhamento em rede DLNA, dispensando o uso do popular cabo LAN (CAT5).
2) Por que os cabos agora são vendidos com certificações Standard e High Speed? Quais as diferenças?
Com a evolução para a conexão HDMI 1.4, a organização resolveu recomendar aos fabricantes a padronização dos cabos a serem utilizados com diversos tipos de fontes. O cabo com certificação Standard é compatível com sinais de vídeo HD (1080i e 720p), formatos de áudio Dolby Digital, DTS e pode ser usado com TV, projetor, DVD player e receptor de TV paga. 
Curiosamente, a maioria dos cabos vendidos atualmente já possui qualificação High Speed, a mais indicada para a conexão entre TV, projetor, Blu-ray, receiver e videogame. Esse tipo de cabo possui banda suficiente para transmitir formatos de áudio HD (Dolby True e DTS-HD Master Audio) e sinais de resolução Full HD (incluindo 3D) e 4K (4.096×2.160p). A certificação High Speed with Ethernet também começa a aparecer nas embalagens de cabos HDMI atuais. A diferença para a última é a inclusão do canal para tráfego de dados em rede.
3) Após eu comprar um TV 3D, será necessário utilizar cabos HDMI especiais para todos os aparelhos?
Não. Embora todos os TVs 3D ofereçam entradas HDMI versão 1.4, não é necessário substituir os cabos das fontes de vídeo conectadas ao aparelho. O padrão 1.4, lançado comercialmente em 2010, prevê a compatibilidade retroativa de cabos e produtos equipados com conexão HDMI de versão anterior. A única ressalva é quando se utiliza um Blu-ray player, media center ou notebook com leitor de discos 3D, que exigem um cabo com certificação High Speed para transmissão de sinal Full HD em 3D.
4) Como é o conector micro HDMI? Aceita todas as resoluções? Que tipo de produto utiliza essa interface? 
O conector Micro HDMI, cujo tamanho se assemelha ao de um USB, aceita sinais com resolução de até 1080p e já é utilizado em tablets, smartphones, filmadoras e câmeras digitais HD. É possível encontrar cabos com conector micro em uma extremidade e conector de tamanho convencional em outra, porém, feitos por poucos fabricantes. O uso de adaptador HDMI micro (macho) para HDMI convencional (fêmea) também é uma opção.
5) O que significa HDMI CEC?
O recurso CEC (Consumer Electronic Control), encontrado principalmente em TVs, HTBs e Blu-ray players, permite aos usuários comandar dois ou mais aparelhos, independente da marca, por meio de um de seus controles remotos. Para funcionar, os produtos devem ter a função CEC habilitada no menu/setup e estarem sempre conectados por cabo HDMI. O recurso HDMI CEC não costuma agradar algumas pessoas, por apresentar comandos inconvenientes, como, por exemplo, desligar todo o sistema (incluindo o TV), quando se quer apenas desligar o Blu-ray.
6) Existem realmente diferenças entre os cabos?
Na maioria das vezes, a superioridade de um cabo mais caro de até 2m pode não ser observada na qualidade da imagem, porém, é notória em cabos de longas metragens. Esses exigem maiores cuidados em sua construção geométrica com blindagem mais eficiente e melhor seleção de materiais, como o cobre com maior grau de pureza. Embora não seja uma regra, fabricantes desconhecidos, cuja procedência seja difícil de saber, podem produzir cabos de 15m de comprimento com condutores de mesmo diâmetro utilizado em modelos de 2m, por exemplo. De acordo com especialistas, essa economia imprudente gera lentidão de resposta e falhas de comunicação. O resultado prático disso: interrupções constantes na imagem e uma ligeira perda de nitidez. Não é por acaso, que as marcas mais conceituadas investem em estudos e desenvolvimentos com objetivo de prever todos os percalços capazes de interferirem na integridade dos sinais transmitidos.
7) Posso utilizar a conexão HDMI em até quantos metros de distância?
Há muitas divergências em relação à metragem máxima a ser utilizada para cabos HDMI. Desde que bem construídos com condutores de cobre de máxima pureza e outros materiais que facilitem a condutividade, cabos de até 15m podem transmitir sinais Full HD (1080p) sem o auxílio de repetidores ou de outros eletrônicos. 
Ocorre que em situações onde se exige o tráfego de sinais Full HD em 3D e mais os codecs de áudio HD – Dolby TrueHD ou DTS-HD Master Audio -, o fluxo de dados aumenta consideravelmente. Com isso, torna-se difícil para cabos superiores a 8m trabalharem com uma micro voltagem elétrica suficiente para acompanhar as altas taxas de bitrate proporcionadas por esses formatos, o que pode resultar em falhas intermitentes na imagem e no som. Além disso, poucos são os cabos com condutores de maior diâmetro capazes de conduzir esses sinais em conexões em longos comprimentos. 
Uma solução adotada por alguns fabricantes baseia-se no uso de extensores via cabo de rede (LAN/CAT5) ou de fibra óptica, nos quais é possível transmitir sinais Full HD em até 100m de distância.
8) Por que meu TV não consegue exibir imagens de alguns aparelhos conectados por cabo HDMI?
Essa falha geralmente ocorre devido a um erro de comunicação no protocolo EDID presente no chip ligado à entrada HDMI dos TVs. Essa tecnologia visa garantir a operabilidade entre equipamentos HDMI e evitar a cópia de conteúdos protegidos. O EDID reconhece informações, como resolução, frequência, esquema de cores (RGB/YPbPr), áudio e outros dados provenientes da fonte HDMI, seja um player de Blu-ray ou um receptor de TV a cabo. 
Caso o protocolo não consiga interpretar alguns desses dados, podem ocorrer falhas e até inoperância no TV. Em certos produtos uma atualização de software, quando oferecida pelo fabricante, pode resolver problema. Felizmente, esse tipo de incompatibilidade ocorre com bem menos frequência em equipamentos atuais. Alguns fabricantes, como a Absolute Acoustics, já desenvolveram soluções a serem utilizadas junto a esses aparelhos, permitindo a reprodução normal da imagem.
9) Acessórios como adaptadores, splitters, seletores, repetidores etc., podem provocar perdas na qualidade da imagem?
Quando uma conexão HDMI é feita a curta distância, em torno de 2m, por exemplo, dificilmente a inclusão de um acessório poderá afetar a capacidade de transmissão dos sinais. Esse tipo de problema acontece se o acessório, seja um adaptador curvo ou repetidor, foi mal projetado com componentes de baixa qualidade, podendo servir como uma resistência à passagem desses sinais pelo cabo. Não é por acaso, que a maioria dos fabricantes desenvolve splitters, seletores e matrizes com uma espécie de booster capaz de manter a voltagem para o tráfego dos sinais que percorrem o cabo HDMI, mesmo em distâncias superiores a 15m. Mesmo assim, é bom ficar atento se o acessório utilizado é de marca reconhecida e se já está em conformidade com o padrão HDMI 1.4, permitindo o fluxo de dados exigido no tráfego de sinais Full HD em 3D e codecs de áudio HD.
10) Preciso conduzir o cabo numa tubulação dentro da parede onde não passa o conector. O que devo fazer? 
O mercado oferece soluções interessantes para passar cabos HDMI nos estreitos eletro dutos em parede sem danificar o conector e, consequentemente, trazer problemas à transmissão dos sinais. Uma delas está na montagem do conector feita após a passagem do cabo pelo duto sem o uso de solda. A sueca Supra e a brasileira Discabos, por exemplo, garantem que o processo é eficiente e pode ser feito facilmente por instaladores.  A primeira têm na sua linha MET componentes destacáveis, onde a carcaça do conector deve ser acoplada e parafusada no cabo pré moldado. Já a segunda conta com a linha Fast Click com ferramentas apropriadas para a montagem dos conectores por crimpagem (compressão). Outra opção é utilizar transmissores HDMI que usam cabo de rede com conectores menores.

Fonte: Revista Home Theater & Casa Digital


Serviços
Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by SuaInternet.COM


Serviços

Atendimento OnLine
Enviar...